sexta-feira, 5 de março de 2021

EU (NÃO) CONFESSO - CONTO CURTO

 





Quando entrei pela primeira vez na sala de espera do psicólogo, a primeira coisa que me chamou a atenção foi um pequeno jardim-zen em frente à porta. Era realmente pequeno, daqueles jardins feitos de areia com um ancinho não maior que meu dedo indicador para que a gente forme com ele alguns padrões (dizem que ajuda a relaxar). Brinquei um pouco com ele enquanto esperava.

Minutos depois, ele abriu a porta, eu entrei e me instalei em frente a ele, em uma poltrona. Silêncio. Comecei a indagar a mim mesma o motivo de eu estar ali, pagando uma fortuna por hora, para que aquele perfeito estranho me olhasse por cima dos óculos com cara de “Eu-sei-mais -sobre-você-do-que-você-imagina.”

Eu sorri, e ele me sorriu de volta, discretamente.

Não sei se ele era mágico ou coisa assim, mas de repente tive um insight sobre mim mesma que me fez ver claramente que ele jamais poderia me ajudar em nada; não era falando com ele que eu me descobriria, mas olhando para mim mesma e para tudo do qual eu me cercara durante toda a minha vida: objetos, pessoas, lembranças. Para me conhecer de verdade, eu teria que responder sinceramente a algumas perguntas práticas: sou feliz? Desejo mudar? O que eu quero? Naquele momento, eu só queria ir embora.

Respirei fundo, peguei minha bolsa e me despedi dele. Aproveitei para passar na loja esotérica e comprar para mim um jardim zen.






13 comentários:


  1. Que esse jardin-zen lhe traga toda a Paz do mundo. Basta acreditar.
    .
    Abraço poético.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Também precisava de um jardim Zenn

    Beijos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Já estive mexendo em um jardim desse, sensação de poder fazer os caminhos que eu escolhesse ...
    Beijos
    blogjoturquezzamundial

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, já fui num jardim assim no Rio de Janeiro, Jardim Botânico.

    ResponderExcluir
  5. Oi querida,
    Nem desenha não sei quanto mais montar um jardim, mas os meus alunos nisso eram nota mil
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  6. Uma história que podia ser a minha.

    Um psicologo é-me necessário.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Entre, Senhor Jesus Cristo em minha casa e permaneça para sempre. Todos nós O envolvemos em faixas de amor de coração ❤️




    ResponderExcluir
  8. Você falou tudo o que eu acho
    da psicologia. Não do estudo,
    mas dos profissionais com relação
    a mim. Ninguém sabe mais de
    mim do que eu mesmo e se alguém
    tiver dúvidas eu também tenho
    e muito maiores.
    Um beijo e, depois diz quanto
    pagou para chegar a conclusão
    que chegou. (risos).

    ResponderExcluir
  9. Hoje vim aqui para lhe desejar bom e para ler seu claro texto. De certa forma na minha opinião todos nós precisamos chegar a nossas próprias conclusões, principalmente sobre nós mesmos. Seu texto é claro a tal ponto que mostra o quando devemos olhar para dentro.

    ResponderExcluir
  10. 😂😂😂😂nunca li algo engraçado e perfeito. Amei👏👏👏😘😘😘

    ResponderExcluir
  11. Dorli Silva Ramos
    Não conseguiria um livro seu, seria muito analítico ou estou errada.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  12. Indeed we do all need to look within ourselves sometimes. In my experience, most psychologists leave you feeling more confused and distressed than before you consulted them in the first place! Lol
    A great little story...that reveals and enormous truth!!😊😊
    And I hope you enjoyed your Zen garden!😉

    Have a lovely day.

    Hugs xxx

    ResponderExcluir
  13. Bom dia Ana,
    Muito bom ter feito o insight. Quem sabe se só o ambiente e o jardim zen, não deram um empurrãozinho na descoberta de si mesma.
    Um beijinho e uma boa quarta.
    Ailime

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar-me. Adoraria saber sua opinião. Por favor, deixe seu comentário.

AS ESTRELAS QUE EU CONTEI - Capítulo 2

  AS ESTRELAS QUE EU CONTEI Capítulo2   Revistinhas. Dezenas dela, sob a cama e o tapete do quarto. Mamãe nos dera uma caixa de madeira ...