quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Lembranças - miniconto




Toda noite, ela se esquecia.

Tudo começou após o acidente que vitimou toda a sua família, e que levou também a sua memória de longo prazo. Após um longo período de recuperação, Susan, aconselhada pelos médicos e terapeutas,  manteve um diário onde anotava as suas memórias para que soubesse, ao acordar, quem ela era. Mantinha-o sempre sobre a mesa de cabeceira.

A casa era toda cheia de bilhetes colados em todas as partes, que lembravam-na dos horários nos quais ela deveria tomar remédios e números de telefone para os quais ligar caso precisasse de alguma coisa. E todas as manhãs ela acordava confusa, assustada e sentindo-se muito só. Olhava em volta, descobria o diário sobre a mesa e começava a ler. Conforme avançava e passava a compreender sua história, uma grande dor tomava conta dela, e Susan entendia que sua vida era muito triste. Perdera todos os seus familiares. Mal conseguia lembrar-se de quem era. E estava condenada a conviver com aquelas memórias para sempre, e por isso, seus dias eram sempre tristes.

 Até que ela dormia e se esquecia de tudo novamente.

Mas um dia, Susan tomou uma decisão: ao terminar de ler sua triste história, rasgou o diário e queimou-o na lareira. Nada restou. Sabia que todas aquelas tristezas estariam ausentes de sua vida para sempre, assim que acordasse na manhã seguinte. E então, ela começou a reescrever uma nova história, cheia de fatos felizes, onde ela era a personagem principal. Criou datas e nomes. Passou a noite toda inventando lugares maravilhosos nos quais ela tinha estado, pessoas incríveis que conhecera - amigos imaginários - e uma vida movimentada e alegre, cheia de música, beleza e magia. Criou até mesmo uma linda história de amor!

Quando os primeiros raios de sol entraram pela janela do quarto, Susan dormia. E esquecia-se. Uma nova vida a estaria esperando quando despertasse novamente. 

E foi então que o improvável aconteceu: na manhã seguinte, após dormir por mais de vinte e duas horas, Susan acordou e descobriu que lembrava-se de tudo. Sua memória voltara.





Um comentário:

  1. Olá, querida Ana
    Lembranças não se esquece porém podemos fazer exercícios para deixá-las quietinhas se não forem boas...
    Asim tenho me mantido também...
    Bjm festivo de 2015

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar-me. Adoraria saber sua opinião. Por favor, deixe seu comentário.

AS ESTRELAS QUE CONTEI - CAPÍTULO 14 - FINAL

  Havia na fazenda uma casa menor para hóspedes, que geralmente ficava fechada, e nós nos mudamos para lá. Uma semana depois do incêndio, Af...