sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Meu Primeiro namorado - Parte II





31/01/14

A noite começou muito bem: escolhemos uma lanchonete legal, pedimos nossos lanches... Pablo estava mais gato do que nunca! Notei que a Vandinha ficava olhando para ele, e quando eu o apresentei a ela, ela arregalou os olhos e mal pode conter a sua surpresa. Acho que ela ficou com ciúmes porque eu consegui um namorado mais gato do que o dela. Estava indo tudo bem. Rodney e Pablo se deram bem logo de cara, e achei que uma nova amizade ia nascer. Daí, a Vandinha disse que queria ir ao banheiro (e as meninas sempre vão ao banheiro juntas), e quando chegamos lá, ela arrebentou comigo: "Onde você está com  a cabeça? Não viu que esse cara é bem mais velho que você, e que nós?" Ela perguntou quantos anos ele tinha, e eu disse a verdade: que não sabia! Ela berrou: "Você só tem 13 anos, Brenda!"

Fiquei um pouco grilada, mas me contive e mantive a cabeça erguida. Voltamos para a mesa, e quando ela se sentou, a primeira coisa que perguntou, foi: "Pablo, quantos anos você tem?" E ele pareceu meio-sem graça, mas mandou ver: disse que tinha dezenove. Levei um susto, mas como ele é absolutamente, fofo, achei que a idade não tinha nada a ver. Debaixo da mesa, fiz as contas nos dedos: seis anos de diferença. Mas achei que, se eu mentisse sobre a minha idade, estaria tudo bem. Daí mandei ver: "Eu tenho quinze." A Vandinha me fuzilou com os olhos, mas fiz uma cara tão brava, que ela ficou quieta.

O resto da noite foi um pouco tensa... saímos e fomos andar na praia. A certa altura, o Pablo puxou algo de dentro do bolso (ele e o Rodney estavam conversando um pouco longe), e vi que o Rodney mandou ele guardar de volta. Então, o Pablo pareceu meio-aborrecido, e veio sentar do meu lado. A Vandinha foi ficar com o Rodney. Fingi que não tinha visto nada... só de estar perto dele sozinha, eu perdia a voz... achei que ele ia me beijar. Mas quando a gente começou a se olhar nos olhos, aquela coisa toda, a Vandinha e o Rodney chegaram junto: "Vamos voltar para casa, está tarde!"

Estragaram tudo.

Mesmo assim, dei meu telefone para ele, e ele me deu o numero dele.

03/02/14

Eu e o Pablo estamos nos vendo escondido. O Rodney veio com uma conversa sobre aquela noite na praia, dizendo que o Pablo tinha tentado começar a fumar maconha, e que ofereceu para ele. Então foi aquilo que eu vi ele tirando do bolso. Mas muita gente boa fuma maconha, não tem nada a ver, e além disso, ele nunca me ofereceu. Mas a Vandinha fez um escândalo, e disse que se eu continuasse vendo ele, contaria tudo aos meus pais.

O clima está meio-estranho entre a gente, mas estou tentando levar numa boa para que meus pais não percebam. Hoje eles foram almoçar na casa de uns amigos aqui perto, e aproveitei para dar uma escapada com o Pablo. Fomos passear de bugre, foi um dia muito legal!

Infelizmente, tive que dizer a ele que eu tinha que chegar em casa antes dos meus pais. Ele me olhou meio-enviesado, e fez a pergunta que eu mais temia: "Você não tem 15 anos, não é?" Senti o rosto corar... ele disse que estava tudo bem, ele também não tinha 19: tinha 21! Quando eu disse que tinha 13, ele assoviou, e respirou fundo. Prometeu que ia devagar comigo, pois estava gostando de mim. Meu coração quase me sufocou de tanto bater! Ele segurou minha mão, e me deu um selinho. Meu primeiro beijo! E eu nem posso contar pra Vandinha.

Oito anos mais velho! Minha mãe diria que ele é um pedófilo. Mas para mim, ele pode se tornar o amor da minha vida.

04/02/14

A Vandinha teve um troço quando achou o Facebook do Pablo e descobriu a idade dele. Fiz ela jurar que não contaria nada aos meus pais, e ela prometeu, desde que eu jurasse que ia parar de vê-lo. 

Tentei mostrar que ele estava dizendo a verdade sobre de onde vinha, o que fazia (estudava engenharia) e além disso, tinha mais de dois mil amigos, o que para mim, é quase um atestado de pessoa legal. A Vandinha me encheu o saco, dizendo que amigos em redes sociais não significam nada. 

Acho que ela está é morrendo de inveja mesmo!

06/02/14

Ontem eu e Pablo não nos encontramos, eu achei melhor dar um tempo para não dar muito na pinta, e ele concordou. O Rodney veio falar comigo, e me perguntou se eu não acho estranho o Pablo estar sempre sozinho, não falar de seus amigos e nunca me convidar para a casa dele. 

Hoje nos falamos por telefone, e perguntei se eu podia conhecer o lugar onde ele estava ficando. Ele disse que vai me levar lá amanhã.

07/02/14

O Pablo está morando em uma espécie de comunidade, quase um acampamento. Ele disse que o custo é baixo, e por isso, ele fica lá. Os amigos dele são gente mais velha, mas a maioria são legais. Alguns fumaram maconha. Um deles me ofereceu, mas o Pablo me disse para não pegar. O cara, que tinha uma aparência hippie dos anos setenta, riu e perguntou a ele quem era a fedelha cheirando a leite. Pablo ficou furioso, o clima ficou tenso, os ânimos se inflamaram, eu fiquei morrendo de vergonha. 

Tinha uma garota mais velha que pareceu não gostar nada de me ver com o Pablo. O nome dela é Angélica. Ela me mediu de cima em baixo, depois saiu rindo. Me senti péssima, mas nada importa se é comigo que ele quer ficar. E fora esses dois, o resto da turma me tratou muito bem. A Nana, uma garota morena muito bonita, fez uma trança no meu cabelo. Ela era bem mais velha, acho que a mais velha dali. Me disse que o Pablo é um cara legal, mas que mesmo assim, era problemático, e que eu devia tomar cuidado com ele.

Mas o melhor de tudo, e que compensou por todos os fiascos da noite: ele me beijou. E foi de língua. Teve gosto de chiclete de hortelã e um cheiro doce. Senti umas coisas estranhas pelo corpo, acho que eu estou perdidamente apaixonada pelo Pablo.



5 comentários:

  1. Sinto que a menina esta pisando em terreno minado. O fogo da idade, a cegueira da razão. Perigo eminente.
    Vamos seguindo Ana.
    Boa noite amiga.

    ResponderExcluir
  2. Ana, já estou com receio do que vem pela frente. No aguardo...
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Voce fez eu lembrar do meu primeiro namorado.
    Que linda historia, vamos seguindo.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. A realidade colocada em foco é crua por si somente. Vamos que vamos Ana.

    ResponderExcluir
  5. Que dó dela. tomara que nao se machuque

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar-me. Adoraria saber sua opinião. Por favor, deixe seu comentário.

AS ESTRELAS QUE CONTEI - CAPÍTULO 14 - FINAL

  Havia na fazenda uma casa menor para hóspedes, que geralmente ficava fechada, e nós nos mudamos para lá. Uma semana depois do incêndio, Af...