domingo, 14 de abril de 2013

MACABRA - PARTE FINAL




Quando o projeto ficou pronto, Fernanda sabia que Amália tentaria dar um jeito de livrar-se dela; assim sendo, ficou muito atenta. Durante a reunião de apresentação do projeto, notou que Amália tentou focar a atenção de todos sobre seu próprio desempenho, como se Fernanda não tivesse participado de nada. Inteligentemente, Fernanda tinha cartas na manga; Amália mal tinha participado de uma das etapas do projeto - a principal - deixando tudo nas mãos de Fernanda. Então, Fernanda começou a arguir discretamente Amália sobre aquela fase do projeto, e gaguejando, Amália não conseguiu responder corretamente as perguntas, deixando clara a sua ignorância. Fernanda, fingindo não perceber o constrangimento de Amália, demonstrava 'boa vontade' ao responder as perguntas que ela mesma fazia, como se tentasse ajudar a sua colega, deixando Caio e os demais participantes impressionados com seu conhecimento, competência e generosidade. Ao final da reunião, sua participação ativa no projeto ficara bem clara, e todos a parabenizaram.

Amália mal podia conter sua fúria! Mas respirou fundo, e tentou mostrar serenidade e gratidão à nova 'amiga e colaboradora,' que reagiu da mesma forma: fria e sorridente. 

Mas Amália começou a fazer uma campanha silenciosa contra Fernanda, tentando desacreditá-la diante dos outros diretores da empresa; fazia-se de vítima, dizendo que Fernanda, demonstrando ambição desmedida e ingratidão, tentara passar-lhe à perna no projeto que, afinal, tinha sido dela! Dizia que a fim de não causar uma situação embaraçosa, mantivera-se em silêncio, mas que não podia mais calar-se. Ela sabia que Caio era uma pessoa que primava pela dignidade e concorrência leais dentro da empresa, não admitindo deslealdade ou competição acirrada entre os funcionários. Achava que o trabalho dentro da empresa deveria ser feito em grupo, pelo bem da mesma, e não apenas por ambição pessoal. 

Sem que ninguém mais soubesse, a não ser os diretores, começou a, literalmente, "fazer a caveira" de Fernanda. Alguns acreditaram nela, incluindo Caio. 
Algumas semanas depois, Caio chamou Fernanda para uma conversa em seu escritório. Estava disposto a demiti-la sumariamente, caso ela não começasse a seguir as regras da empresa. Fernanda ficou surpresa com a advertência, mas preferiu calar-se, já que não tinha argumentos ou provas para defender-se. Notou que, se quisesse manter o seu emprego e limpar a sua honra, precisaria de mais do que apenas desculpas.



Conseguiu mais informações sobre o caso de Dara e Paulo através de sua melhor amiga na empresa, Roberta. Assim, conseguiu localizar Paulo e ter uma boa conversa com ele. Levou-o para jantar em um bom restaurante, dizendo que tinha um negócio a propor-lhe. Ele imediatamente aceitou, pois além de ser ambicioso, gostou da oportunidade de desfrutar da companhia de uma bela mulher. Conforme a noite passava, Paulo sentia-se mais à vontade com Fernanda, achando que estava conseguindo seduzi-la. Finalmente, ela tocou no assunto de Dara; ele pareceu um pouco constrangido, mas sua vaidade logo fez com que ele contasse toda a verdade sobre o que acontecera na Construct; as armações de Amália contra Dara e outros funcionários, o plano para destruir Dara, os documentos que ele mesmo colocara na bolsa da funcionária que se suicidara. Claro, ele disse que não esperava aquela reação da moça, e que lamentava muito o ocorrido.

Paulo não sabia que Fernanda tinha em um dos botões da blusa, uma micro-câmera que filmava e gravava tudo o que acontecia durante aquele jantar. Quase ao final da conversa, Fernanda disse-lhe que tinha uma proposta a fazer-lhe; se ele tivesse provas de tudo o que contara a ela, ela lhe daria uma grande quantia em dinheiro- parte da herança de sua avó. Os olhinhos de Paulo brilharam: "E quanto isto significa?"  Fernanda escreveu um valor no guardanapo, e mostrou a Paulo, que sorriu, aceitando a proposta. 

Ele pegou seu telefone celular, dizendo: "Tenho todas as conversas com Amália filmadas e gravadas aqui. Pensei em chantageá-la  mais tarde, quando o dinheiro que ela me deu acabasse, mas depois da quantia que você me ofereceu, e diante da minha atual situação financeira ... bem , o dinheiro já está quase no fim, e pelo que vejo, Amália acabará sendo demitida da empresa... menina, você é mais esperta do que ela!" Fernanda sorriu fingindo uma maldosa cumplicidade: "Você pode apostar que com a sua informação, em breve estarei ocupando o cargo de Amália, e você será meu assistente pessoal... se é que me entende." Ele pegou a mão dela, mas fingindo casualidade, Fernanda retirou-a dizendo: "Mas antes... passe estas informações para o meu celular." E enquanto ele transferia os dados, Fernanda , pegando o talão de cheques (de uma conta há muito encerrada) começou a preenchê-lo com a quantia prometida. 

Paulo pareceu desconfiado ao ver o cheque, mas Fernanda, com seu charme e poder de persuasão, acabou convencendo-o a aceitar. Saíram do restaurante para o que seria 'uma grande noite de sexo,' para selar o contrato entre ambos, caso Fernanda não tivesse usado em Paulo o mesmo sonífero que ele  e Amália tinham usado em Dara.  Deixou-o dormindo no motel, rasgando a folha de cheque em mil pedaços. Também apagou as filmagens de seu celular, retirou todo o dinheiro de sua carteira e quebrou seus cartões de crédito; quando acordasse na manhã seguinte, Paulo teria um enorme problema pela frente...

Na manhã seguinte, no escritório, Fernanda procurou Caio, e entregou-lhe as provas que causaram a imediata demissão de Amália, seguida de um longo processo judicial contra ela e Paulo, seu comparsa.





FIM

Gostaria de sua opinião: Fernanda usou de meios pouco éticos para desmascarar Amália. Ela estava certa ou errada? Até que ponto deve a ética ser respeitada na vida e/ou nos negócios?


2 comentários:

  1. MAS O QUE?!!! KKKKKK, EU AMEI ANA.NÃO SEI PQ MAS ADORO ESTAS VINGANÇAS, ALGUÉM TINHA QUE PARAR ESSA MALUCA, PELO MENOS NA EMPRESA, TANTAS PESSOAS INOCENTES FORAM PREJUDICADAS, SE ELA PREJUFICOU PAULO, ELE TAMBÉM MERECEU, JÁ QUE ERA AMBICIOSO,E O MELHOR DE TUDO MUITO BURRO, ANTA TOTAL. KKKKKK

    INFELIZMENTE EXISTE MUITAS PESSOAS ASSIM, INCLUSIVE PÁSSEI POR ISSO, UMA DOIDA QUE TENTOU ME PREJUDICAR, MAS FELIZMENTE ELA NÃO FOI MTO ESPERTA E MINHA CHEFE VIU TUDO E VEIO ME CONTAR.

    MAS EU AMEI ESTE CONTO.

    BJS ANA.

    PATTY

    ResponderExcluir
  2. Amei a Fernandinha! Agir com inteligência é uma cartada acima que qualquer outra.

    abraços Ana

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar-me. Adoraria saber sua opinião. Por favor, deixe seu comentário.

AS ESTRELAS QUE CONTEI - CAPÍTULO 14 - FINAL

  Havia na fazenda uma casa menor para hóspedes, que geralmente ficava fechada, e nós nos mudamos para lá. Uma semana depois do incêndio, Af...